De Budapeste, o Danúbio

De Budapeste, o Danúbio

2018

Apoiando-me na experiência deste longo registo fotográfico que tenho desenvolvido, na releitura de Danúbio de Claudio Magris e inspirada por uma passagem pela Hungria há exactamente 10 anos antes e propus dar forma a um paralelismo entre a presença dos rios Tejo e Danúbio. Habitada por esta questão: será que um rio é/será todos os rios? Budapeste é um lugar alheio, mas não me é indiferente, voltei para reconhecer os lugares pisados e seguir o curso e o canto da água (tão familiar).

Com o apoio da Câmara Municipal de Lisboa através do programa de Intercâmbio Artístico Lisboa-Budapeste, durante a residência artística na Budapest Galeria, em Julho de 2018.