Novas publicações e o concurso Phenomena

Novas publicações e o concurso Phenomena

Nos meses de Novembro e Dezembro várias colaborações viram a luz do dia, tornando-se públicas.

  • Foi apresentado num evento muito caloroso e saboroso o projecto Pelas Tascas do Frame Colectivo, que tem a forma de um jogo e de um livro. Neste último publicam-se as fotografias e os textos de fotógrafos e escritores da cidade de Lisboa e mais além, que têm uma simpatia e um fraquinho por estes lugares tão próprios da cultura de bairro. Que são a fronteira entre o espaço público e o espaço íntimo, acolhendo e alimentando pessoas novas mas sobretudo clientes regulares e fiéis.

  • No mês de Dezembro, inaugurou a Exposição PHENOMENA, que começou por ser um concurso de fotografia (do qual integrei o júri) e que se transformou numa exposição da qual fui co-curadora e esteve patente até Fevereiro de 2020, em Évora. Organizados pelo projeto ecoVerney da Escola de Ciências e Tecnologia da Universidade de Évora, em colaboração com a Câmara Municipal de Évora e a Direção Regional de Cultura do Alentejo, com o apoio da CIMAC, GESAMB, IPF, CCDRA e DELTA-Cafés.
  • Desde Dezembro está disponível o número 04 da revista Hors-Champs editada por Les atelier de Traverse em Nîmes, em França. 
    A partir de algumas das fotografias da minha série “O Amor não é cego”, dez escritores escreveram um texto.

 

As últimas notícias

As últimas notícias

Já estão à vista as primeiras fotografias que resultam da primeira parte da residência em Santiago de Compostela, a convite de Cuarto Pexigo . No decorrer da minha residência fiz uma exposição em tenda cuartopexigo e dei uma conferência no Centro Galego de Arte Contemporánea (CGAC) integrado na sessão daquele mês do Fotoforum Compostela. Foi encantador!

Entretanto, tive o privilégio de integrar o júri do Concurso de Fotografia Phenomena 2019, cuja exposição dos vencedores e fotografias distinguidas terá lugar no mês de Setembro.

E em Maio, com Marine Delouvrier (artista e arquitecta, membro-artista da Casa de Velázquez em 2018-2019) fizemos uma imersão em território espanhol, para o que poderá ser um projecto a quatro mãos de grande envergadura. Um projecto em que a toponímia e os seus ecos são o ponto de partida.

Conferência Monat der Fotografie > Off Berlin 2018

Conferência Monat der Fotografie > Off Berlin 2018
Dia 14 de Outubro de 2018

Mesa-redonda sobre “Artistas europeus em residência”, durante o Monat der Fotografie > Off 2018 , em Berlim. Organizado por Eva Gravayat.

Participantes:
Malcolm Dickson
 (Street Level Photoworks Glasgow) 
and the photographers:
Doro Zinn (Residency Exchange Programm Photographic Parallels in Glasgow)
Robert Henderson (Residency Exchange Programm Photographic Parallels in Berlin)
Maria Do Mar Rego (Residencies Casa de Velázquez in Madrid and Budapest Galéria)
Stephanie Steinkopf (Residency Goethe Institut Helsinki und Helsinki International Artist Program, Finland).

Depois de Budapeste, depois do Danúbio – volta ao ateliê

Depois de Budapeste, depois do Danúbio – volta ao ateliê

Acabei de voltar de Budapeste, depois de ter passado um mês a ver, ouvir, fotografar e atenta a todos os ecos interiores que pude perceber ao viver esta cidade majestosa e decadente.

As palavras de Claudio Magris no seu livro “Danúbio” foram o meu primeiro guia, a partir do qual aceitei todas as derivações e desvios.
Agora, inicio o trabalho de ateliê: trata-se de ouvir e ver todo o material fotográfico e sonoro.
Até breve!

Intercâmbio artístico Lisboa-Budapeste 2018

Intercâmbio artístico Lisboa-Budapeste 2018

Durante o mês de julho de 2018 estarei em residência artística em Budapeste na Budapeste Galéria, para desenvolver um trabalho a que chamei: De Lisboa e Budapeste ou do Tejo e do Danúbio.

A Budapest Galéria é a estrutura municipal de arte contemporânea de Budapeste: as suas actividades incluem a instalação de obras contemporâneas no espaço público, a organização de exposições nas suas instalações no coração de Budapeste e o intercâmbio de artistas em residência.

Um intercâmbio promovido pela Câmara Municipal de Lisboa no âmbito do protocolo Lisboa-Budapeste, cidades geminadas .

A partir da experiência adquirida ao fotografar o Tejo e de uma releitura do “Danúbio” de Claudio Magris, proponho-me voltar a olhar e a ouvir o rio Danúbio.

Vista da  edição “Viagem ao Estrangeiro – Magyar Körztársaság ou Hungria, 12 dias de setembro de 2008” realizado após uma primeira viagem à Hungria.

Catálogo da exposição “Les maletes de Walter Benjamin – Dispositius Migratoris”

Catálogo da exposição “Les maletes de Walter Benjamin – Dispositius Migratoris”

Catálogo da exposição colectiva e itinerária « Les Maletes de Walter Benjamin – Dispositius Migratoris ».
Portbou, Madrid e Barcelona, entre Setembro de 2016 e Setembro de 2017.
Editado pela Escola de Verão Walter Benjamin, em Portbou, 2016.

De uma mala, aparentemente vazia, emana um relato sonoro de 20 minutos realizado a partir das gravações feitas ao longo das missões fotográficas da Travessia.
Trata-se de evocar: por um lado, a passagem de fronteiras – neste caso a luso-espanhola – como uma metáfora da transição de uma condição a outra; e por outro, de problemáticas benjamianas desde o flâneur anónimo, à memória, à aura, à narração, à transmissão.